Últimos três anos mais quentes desde 1880

Por em 22 de Janeiro de 2018
DR

Os últimos três anos (2017, 2016 e 2015) foram os mais quentes desde que começaram os registos de temperaturas, em 1880. A informação foi revelada na passada quinta-feira pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) da ONU, que explica que no ano passado o planeta registou uma temperatura média 1,1 graus centígrados mais alta do que o período considerado “pré-industrial” entre 1880 e 1900.

No ano passado, Portugal e Espanha enfrentaram uma das maiores secas de que há memória potenciada pelas elevadas temperaturas e falta de chuva durante um largo período.

Por outro lado, foi agora publicado um estudo na revista Naturecitado peloGuardian,  que revê em baixa os dados mais pessimistas da ONU sobre o aquecimento global, concluindo que a temperatura global do planeta não vai aumentar quatro ou cinco graus até 2100 como o calculado anteriormente, colocando a fasquia em cerca de metade.

Utilizando uma nova metodologia, a equipa liderada Peter Cox, professor na Universidade de Exeter em Inglaterra, diz ter conseguido balizar de forma mais exacta a previsão para o aumento das temperaturas à face da Terra nos próximos quase 100 anos. Segundo este estudo, as temperaturas deverão aumentar entre 2,2ºC e 3,4ºC, sendo os 2,8ºC a fasquia mais provável.

Sobre Redacção Registo

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.