Monsaraz – Museu Aberto

Por em 30 de Julho de 2016
DR

O último fim de semana do Monsaraz Museu Aberto vai integrar a Festa do Cante nas Terras do Grande Lago e a Dark Sky Party Alqueva. Este festival que está a celebrar 30 anos decorre na vila medieval até amanhã e pretende abordar o que de melhor se faz na cultura e nas artes do espetáculo. O Monsaraz Museu Aberto é organizado desde 1986 pelo Município de Reguengos de Monsaraz e a partir de 1998 começou a realizar-se com periodicidade bienal.

Hoje , pelas 22h, no Largo D. Nuno Álvares Pereira, realiza-se a Gala do Cante, com o Grupo Coral e Etnográfico Amigos do Alentejo do Feijó, Grupo Coral Os Rurais de Figueira de Cavaleiros, Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz, Mário Moita, Manuel Sérgio e José Manuel Farinha. Os intervenientes neste espetáculo vão revelar a alma do Cante, a herança transmitida pelos antepassados e que constitui a identidade cultural desta região.

A fechar a bienal cultural, no domingo, dia 31 de julho, pelas 20h, no jardim da Casa da Universidade de Évora, decorre uma adiafa com o Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz, Grupo Coral Estrelas do Sul – Portel, Grupo Coral da Granja e Grupo Voces Al Alba, de Alconchel (Extremadura espanhola). Nesta adiafa será servido vinho branco CARMIM 30,produzido para assinalar os 30 anos do Monsaraz Museu Aberto.

 

O festival Monsaraz Museu Aberto está a decorrer desde o dia 15 de julho, data em que foi inaugurado pelo Ministro da Cultura, Luís Castro Mendes. No primeiro fim de semana, o programa integrou o concerto da Orquestra de Câmara do Alentejo, Mestre António Chainho com Mafalda Arnauth, AR Quarteto e a voz de Daniela Melo, o espetáculo Touros e Flamenco, um recital de acordeão com Gonçalo Pescada, mas também Rão Kyao que tocou flauta de bambu nainauguração do Centro Interativo da História Judaica em Monsaraz.

 

Exposições

O Monsaraz Museu Aberto tem exposições patentes diariamente durante as três semanas do festival, que podem ser apreciadas de segunda a quinta-feira das 10h às 22h e nos restantes dias até às 23h.

O escultor João Cutileiro está a apresentar uma exposição de fotografia na Igreja de Santiago – Galeria de Arte. Foi em Reguengos de Monsaraz que João Cutileiro expôs pela primeira vez, em 1951, tinha 14 anos, tendo também participado numa das primeiras edições do Monsaraz Museu Aberto.

No Museu do Fresco está patente uma mostra de arqueologia intitulada “Monsaraz Antes da História – vestígios de um povoado da Idade do Bronze”. Esta exibição centra-se na escavação arqueológica realizada pela Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz e pela Associação Portanta na área traseira da Casa da Inquisição, em Monsaraz, local onde se identificaram os vestígios da mais antiga ocupação humana desta povoação, datados de cerca de 2000 anos antes da construção do seu castelo.

Roteiro gastronómico e “experiências” nos agentes turísticos

A bienal cultural propõe pelo segundo ano um roteiro gastronómico com o menu Monsaraz Museu Aberto em 11 restaurantes da freguesia de Monsaraz. Por 12,5 euros, os visitantes poderão degustar um menu (entradas, prato e sobremesa) diversificado nos restaurantes “O Alcaide”, “O Bizaca”, “Casa do Forno”, Centro Náutico de Monsaraz, “O Convívio”, “Feitiço da Moura”, “Casa Modesta”, “Sem-fim”, “Lumumba”, “Taverna Os Templários” e “Xarez”.

Os agentes turísticos da região prepararam diversas atividades para os visitantes desfrutarem durante o Monsaraz Museu Aberto. Assim, propõem um conjunto de “experiências”, nomeadamente conhecer o “Caminho das Oliveiras Milenares” (Horta da Moura), Chill Out Monte Alerta – Sentir o pôr-do-sol (Monte Alerta), astroturismo na Casa Saramago e no Observatório Lago Alqueva, manusear o barro na Casa do Barro – Centro Interpretativo da Olaria de S. Pedro do Corval, passeios de barco e Museu do Azeite (Restaurante Sem-fim) e visitas à horta biológica e a uma exposição no Monte do Laranjal. Os visitantes poderão ainda ver o pôr-do-sol com vista panorâmica para a planície na Casa D. Nuno e na Casa do Cante, fazer passeios de barco e massagem hídrica na Casa D. Antónia, passeios a pé e de bicicleta pelo milenar Olival da Pega (Vila Planície), atividades náuticas, BTT e passeios a cavalo e de charrete no Centro Náutico de Monsaraz, mas também provas de vinho, caças ao tesouro, entre outras atividades no Hotel São Lourenço do Barrocal, apreciar a exposição e ver os artistas a pintar na Galeria Monsaraz, e conhecer o Museu tauromáquico José Mestre Batista.

 

Sobre Redacção Registo

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.