“A Quaresma na Escola de Música da Sé de Évora”

Por em 14 de Março de 2019
DR

A Associação Eborae Musica promove de 21 a 24 de março o XVII  Ciclo de Concertos “A Quaresma na Escola de Música da Sé de Évora” que integra os seguintes Concertos: Dia 21 às 21h30 – “Stabat Mater” de G:B. Pergolesi; por Marta Marques, Inês Pinto e Eduardo Proença ao pianodia 22 às 21h30 “Polifonistas da Sé de Évora, Mozart e Bach” pelo Coro Polifónico “Eborae Mvsica” acompanhamento de Ana Filipa Luz ao pianosob a direção de Eduardo Martins; dia 23 às 18h00 “A Herança da Sé de Évora” pelo Grupo Vocal Olisipo sob a direção de Armando Possante; dia 24 às 18h00 “Officium Tenebrae”por “Les Secrets des Roys”. Os concertos terão lugar no Convento dos Remédios em Évora.

Programas:

Dia 21  Stabat Mater de G.B. Pergolesi

 Apesar da sua curta existência, o compositor notabilizou-se particularmente enquanto um dos protagonistas na ascensão da opera buffa no século XVIII, mas na sua produção contam-se também exemplos importantes no campo da música instrumental e da música sacra. Encomendado por uma confraria italiana para a sua meditação anual de Sexta-Feira Santa em honra da Virgem Maria, o Stabat Mater para soprano, contralto, orquestra de cordas e baixo contínuo, composto por Pergolesi em 1736, nos seus últimos tempos de vida, constitui certamente uma das primeiras aplicações à música sacra da nova orientação, em equilíbrio com o antigo estilo mais contrapontístico. Apesar da resistência inicial de alguns comentadores, a obra alcançaria grande popularidade ao longo de todo o século XVIII. Trata-se de mais um dos incontáveis tributos musicais inspirados pela figura da Virgem, musicando neste caso os versos latinos de Jacobus de Benedictis (séc. XIII), que lhe elevam uma prece.

Marta Marques– possui o Mestrado em Ensino de Música, vertente Canto, da Universidade de Évora e a licenciatura em Canto Teatral do Conservatório Superior de Música de Gaia.Trabalhou em Workshops e aulas particulares com muitos, reputados internacionalmente,  professores de Canto. Apresentou-se em recitais, galas de ópera, eventos e espectáculos actuando em várias cidades de Portugal, Itália e Espanha.

Inês Pinto – frequenta o 2º ano de <Mestrado em Canto Lírico na Universidade de Évora na classe da Mezzo-soprano, Liliana Bizineche; Trabalhou em Workshops e aulas particulares com muitos, reputados internacionalmente,  professores de Canto. Apresentou-se em papeis de solistas em várias óperas atuando em várias cidades de Portugal;

Eduardo Proença concluiu o Curso Secundário de Música e o Curso Secundário de Canto Gregoriano, tendo terminado piano com 19 valores, e obtido o 1º Prémio no Concurso de Piano do Instituto Gregoriano de Lisboa (Nível V) em 2014. Frequentou, durante ano e meio, a licenciatura em Composição na ESML. Trabalhou, enquanto pianista acompanhador, para a Associação Musical Lisboa Cantat, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e o Coro da Universidade de Évora, entre outros. Estuda atualmente Piano na Universidade de Évora, integrando a classe da professora Ana Telles.

Dia 22 –  Pater Peccavi -Duarte Lobo (1565-1646) ; In illo tempore – Estevão de Brito (1570-1641); Sepulto Domino – Francisco Martins ;  –—–

Ach weh des Leiden – H. Hassler (1564-1612) ; Cantate Domino canticum novum  D. Buxtehude (1637-1707)

Cantate – Gloria Patri et Filio ; Jesu Meine Freude BWV227 * (secções I, II, IX, XI)  J.S.Bach (1685-1750); Der gerechte kommt um Sobre o motete de Kuhnau Tristis et anima mea ; Misericordias Domini – W. Mozart (1756-1791);

Coro Polifónico “Eborae Mvsica” – fez em Setembro de 1987 a sua primeira apresentação pública, integrada no acontecimento cultural “Os Povos e as Artes”. Tem realizado diversas atuações ao longo da sua existência, interpretando não só polifonia da Escola de Música da Sé de Évora (sécs. XVI e XVII), como também outras obras de diferentes épocas. Destacam-se nas suas atuações a participação nas Jornadas Internacionais “Escola de Música da Sé de Évora”, acontecimento que a Associação Eborae Musica organiza, anualmente no mês de Outubro. Nas deslocações internacionais destaca-se a participação na Europália 91 na Bélgica e a participação no 10º Concurso Internacional de Música Sacra de Preveza, Grécia onde ficou classificado em 3.º lugar, obtendo a medalha de bronze. Dirigido atualmente por Eduardo Martins, foi dirigido antes por Adelino Santos, Francisco d’Orey e Pedro Teixeira.

Eduardo Martins  – Mestre em Direção Coral e Formação Musical na Escola Superior de Música de Lisboa, com os maestros Paulo Lourenço e Alberto Roque, sendo maestro assistente do Coro de Câmara da mesma escola (ESML). Foi Diretor Artístico do Grupo Coral Laudamus – Ovar (1999-2011) e Coro de Letras da Universidade de Coimbra (2004-2006), Coro Tejo e Coro Sacro da ESML. Atualmente dirige o Grupo Coral ViVaVoz – Oeiras, Coro da Universidade de Lisboa e oCoro Polifónico Eborae Musica (desde 2013).

Este ciclo de concertos é organizado pela Eborae Mvsica – Associação Musical de Évora, entidade financiada pelo Ministério da Cultura-DGArtes, com o apoio da Câmara Municipal de Évora, Diário do Sul, Rádio Diana, Antena2, A Defesa, Registo.

Sobre Redacção Registo

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.