O Flagelo do Desemprego

Por em 21 de Fevereiro de 2013

Cada mês que passa a crise agrava-se sem fim à vista e o desemprego galopa de forma descontrolada. No gráfico que se apresenta é possível analisar a evolução do drama social que vivemos mostrando de forma clara a evolução do desemprego registado desde 2005 atéJaneiro de 2013.

Como é possível analisar a situação entrou em descontrolo a partir de 2011, sendo que se vinha agravando desde 2009. Segundo os últimos dados mensais do IEFP referentes a Janeiro, o número de desempregados registados nos Centros de Emprego atingiu 740.062, mais 102.400 (+16,1%) que no mesmo período de 2012 e mais 29.410 (4,1%) que no mês anterior. Face ao mês passado, há mais, em média, 949 desempregados por dia, ou 40 por hora.

image001Com o atual governo de Passos Coelho, num ano e meio, o nº de desempregados inscritos nos Centros de Emprego já cresceu 43%: são mais 221.357 desempregados inscritos. O Alentejo não representa um peso importante no total do país mas é bem o espelho das dificuldades nacionais. A análise por Concelho ficará para uma outra ocasião.

O que importa aqui a afirmar é que esta situação é intolerável e que colocará em causa o esforço colocado na consolidação orçamental. A Troika e o Governo devem interpretar esta realidade sob pena de assistirmos a uma implosão social de consequências imprevisíveis.

É aqui que o Governo tem que colocar toda a energia se é que ainda lhe resta alguma. A nossa Democracia, tal como a conhecemos pode estar em causa se a Europa e o Governo não acordarem para esta triste realidade, na qual cerca de 40% dos desempregados são jovens. Não é suportável!

 

Sobre António Serrano

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.