DEPUTADA INÊS ZUBER EM DEFESA DOS SERVIÇOS PÚBLICOS NO DISTRITO DE ÉVORA

Por em 19 de Maio de 2015

A deputada do PCP no Parlamento Europeu Inês Zuber visitou o distrito de Évora no dia 15 de Maio, onde contactou com várias entidades e com a população numa jornada de informação sobre a defesa dos serviços públicos

Realizou reuniões, em Évora, com a Direcção do Agrupamento de Escolas nº 2 e com a Administração do Hospital do Espirito Santo, em Montemor-o-Novo, com a Associação de Reformados Pensionistas e Idosos, em Cabeção reuniu a população da freguesia e, em Estremoz, participou numa sessão pública sobre as políticas socais da União Europeia e a sua relação com as políticas do governo português.

Foram relevantes nestes contactos as situações sociais, preocupantes pela sua dimensão e gravidade, resultantes do subfinanciamento do Estado à Educação, desde a conservação até à carência de recursos humanos, sobretudo nas áreas de apoio social, assistentes sociais e psicólogos, e pessoal não-docente, nomeadamente auxiliares de acção educativa. Sem o recurso a receitas próprias da escola, resultantes de aluguer de instalações, e do apoio da autarquia eborense a situação seria muito pior.

Inês Zuber referiu que “o processo de Municipalização das Instituições de Educação visa o objectivo do governo de abandonar as funções sociais do Estado, situação que colocará em causa o direito à educação para todos em situação de igualdade”.

Situação semelhante se passa com a saúde onde o actual Hospital de Évora já não cumpre os requisitos mínimos em matéria de condições de operacionalidade, dimensão e segurança e tem visto protelado, pelos governos do PS e do PSD/CDS, a construção do novo Hospital Central de Évora. Na reunião com a Administração do Hospital do Espirito Santo, a deputada referiu que o PCP vai questionar a Comissão Europeia sobre a existência de verbas para a construção do novo hospital.

Em Montemor-o-Novo a sessão decorreu em torno do encerramento dos serviços públicos onde foi realçado que o Serviço de Atendimento Permanente (SAP) de Montemor foi mantido pela luta da população, assim como os Postos Médicos de Cabrela e de São Cristóvão. Foi referido que também na saúde está em curso o processo de Municipalização, dentro da estratégia do governo de abandonar as funções do Estado nesta área, processo associado ao ataque ao Poder Local Democrático. As populações têm cada vez menos acesso à saúde e as suas condições sociais agravam-se, com realce para os reformados com pensões abaixo dos 400€. Em Num encontro com a população da freguesia de Cabeção constatou-se que se vive uma situação idêntica que, globalmente, é a consequência das políticas em curso que estão em sintonia com o directório da União Europeia que vê, na privatização dos serviços públicos e no abandono progressivo dos governos das funções sociais dos Estados, um negócio para os privados. Estas questões foram abordadas com detalhe, em Estremoz, onde a deputada Inês Zuber afirmou que “aqueles que se opõem a esta ofensiva contra os trabalhadores e as populações têm na próximas eleições legislativas um momento para afirmar que há uma alternativa a esta política do inevitável e do retirar direitos a quem trabalha, sabendo que este é um processo que exige luta e grande mobilização das populações, para além deste acto eleitoral”.

Sobre Redacção Registo

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.