Encontro Nacional de Direcções Associativas

Por em 16 de Março de 2012

Começa hoje no colégio do Espírito Santo da Universidade de Évora, e prolonga-se durante o fim-de-semana o Encontro Nacional de Direcções Associativas (ENDA). O encontro, que não acontecia em Évora desde 2002, vai este ano, entre outros temas, debater a emancipação dos jovens e como a actual conjuntura financeira e económica está a afectar o ensino superior.

“Portugal atravessa um período difícil da sua história, reflectindo-se em todos os campos da sociedade. É por isso urgente o debate político franco e produtivo entre todos os intervenientes. O ENDA, como espaço de excelência do movimento associativo nacional para os estudantes do ensino superior assume uma importância vital nesse debate”, disse ao Registo Paulo Figueira, presidente da Associação Académica da Universidade de Évora (AAUE).

Recorde-se que o Encontro Nacional de Direcções Associativas é o fórum de discussão de carácter consultivo, decisório e eleitoral de todos os estudantes matriculados no ensino superior, legitimamente representados pelas Associações Académicas e de Estudantes das respectivas instituições de ensino superior ou das suas unidades orgânicas, e as federações Académicas e estruturas similares. Tem uma periodicidade normal de três em três meses, embora possa ser convocado extraordinariamente por um mínimo de 20 associações de estudantes de, pelo menos, quatro distritos diferentes

Após o plenário inicial, marcado para as 18h00 de amanhã, os dirigentes associativos do ensino superior começara por debater a qualidade e avaliação, quer nos sistemas de qualidade internos, que na avaliação dos docentes. Para sábado o principal tema em destaque será a Acção Social. Em cima da mesa vão estar certamente questões vitais para esta faixa do ensino em Portugal, pois é da Acção Social que brotam, entre outras, competências ao nível da atribuição de bolsas de estudo, ajudas no alojamento, alimentação, etc

Já no domingo, último dia do ENDA, a manhã está reservada para uma reunião das estruturas federativas, ficando a parte da tarde reservada para o tema forte deste encontro, a emancipação jovem.

“Os temas escolhidos [a Acção Social e a Emancipação Jovem] estão na ordem do dia, São temas quentes nos dias que correm, sendo que este ENDA assume ainda um papel especial, visto ser o último antes do cinquentenário do dia do estudante, a 24 de Março, que o movimento associativo quer assinalar de forma reivindicativa”, acrescentou Paulo Figueira.

É portanto de esperar que deste encontro saiam algumas ideias que podem vir a marcar os próximos meses e anos no sector, sobretudo na abordagem da comunidade estudantil aos problemas da sociedade actual.

Os trabalhos deverão terminar durante a noite de domingo, com o plenário final agendado para as 00h00 de segunda-feira.

Estudar com dificuldades

Outro dos pontos de interesses do encontro deverá ser a apresentação dos resultados nacionais de um inquérito realizado em primeira instância pela Universidade de Trás o Montes de Alto Douro (UTAD) de Vila Real, de que foi adaptado por muitas associações de estudantes e académicas do país, sobre as dificuldades económicas dos estudantes portugueses.

Os dados nacionais dos inquéritos feitos aos universitários estão a ser tratados na academia transmontana e vão ser divulgados no decorrer do ENDA. Os resultados de Vila Real, entretanto já apurados, mostram que mais de metade dos estudantes passa por dificuldades financeiras.
A realidade nacional não será muito diferente.

Sobre Pedro Galego

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.