Pensar a educação em Évora, cidade educadora

Por em 28 de Setembro de 2012

Esta quinta feira, 27 recomeçou o ciclo de debates intitulado “Habitar a Cidade. Construir espaço público” em curso durante esta ano de 2012. Na última quinta feira de cada mês, num café da cidade, têm vindo a reunir-se académicos, políticos e outros cidadãos interessados em reflectirem em conjunto temas ligados à vida de Évora, apresentada como cidade educadora.

Para o mês de Setembro, tempo de regresso às aulas está agendado para debate a Educação nas suas dimensões formal, não formal e informal.

“Como é que em Évora a Escola se relaciona com a cidade?”, ou “como é que as diversas instituições empenhadas na educação não formal se ligam quer à escola, quer à cidade?” ou ainda “ que consciência tem a cidade de que as ruas, os amigos, as famílias, ou o quotidiano são educadores importantes?”. Estas são algumas das questões que motivaram o debate para o qual foram convidados todos os interessados. Ontem de tarde no café Condestável entre as 17.30 e as 20.30h.

Évora é cidade educadora há 12 anos, mas poucos eborenses sabem

Estes debates da responsabilidade do CIDHEUS (Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades) e do Departamento de Filosofia da Universidade de Évora enquadram-se num projecto de investigação que se propõe conhecer as possibilidades dos cidadãos de Évora se apropriarem da ideia de cidade educadora, título que a cidade detêm desde há 12 anos.

Em cada sessão o tema foi lançada por uma mesa de especialistas estendendo-se depois a todos os presentes interessados em intervir.

Desta vez, o professor Joaquim Felix, Director da Escola Secundária Gabriel Pereira em Évora, a professora Maria de Jesus Florindo, Presidente da Universidade Senior de Évora, e o Sr. José Saloio, actor, encenador e animador cultural reconhecido na cidade, constituiram a mesa moderada pelo Prof. Doutor José Carlos Bravo Nico, docente do Departamento de Pedagogia e Educação da Universidade de Évora.

Cada um dos três primeiros nomes indicados representou neste encontro, respectivamente, a área da educação formal, não formal e informal. “ A educação formal refere-se à Escola, enquanto a educação não formal envolve todas as instituições que educam fora da Escola tradicional.

A educação informal, por sua vez inclui os inúmeros pontos educadores com que nos encontramos diariamente como é o caso da família, dos amigos, dos desafios quotidianos” esclarece um dos organizadores deste debate.

O papel das empresas na cidade educadora é o próximo tema em debate

Para depois de quinta feira, estão agendados outros dois debates com se completa o ciclo iniciado em Janeiro deste ano. No mês de Outubro será discutido o papel das empresas na construção de Évora, cidade Educadora. Em Novembro, o ultimo debate centra-se sobre a diversidade de públicos e a complexidade das redes que definem Évora, cidade que quer ser educadora.

Sobre Dores Correia

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.