Sousel – Semana Gastronómica

Por em 15 de Novembro de 2012

O Concelho de Sousel situa-se na confluência dos Distritos de Portalegre e Évora, numa região marcada pela multiplicidade paisagística. A paisagem do Concelho varia entre a imponência de velhos e frondosos sobreiros, a esquadria dos olivais, a disciplina das vinhas e os extensos campos agrícolas.

Acrescente-se também o facto de Sousel ser um Concelho de feição agrícola, onde a vertente turística tem vindo a crescer paulatinamente, sem se deixar corromper pelo turismo de massas, apostando cada vez mais no contacto com a natureza envolvente.

O desenvolvimento sustentável é um desafio para o mundo. Propor meios de harmonizar o desenvolvimento e a conservação ambiental é uma tarefa complexa. Por esse motivo, Sousel, repleto de beleza e riqueza naturais, deve- se comprometer desde já com a sustentabilidade.

Num dos mais complexos períodos da nossa história contemporânea, é nas regiões do interior que o sentir dos impasses se torna mais acentuado…. Mas, é também durante as alturas de crise que surgem oportunidades de mudança.

O Alentejo está em perda demográfica desde meados do século passado, tem uma população cada vez mais envelhecida e o mais alarmante é que não consegue suster a população mais jovem e mais habilitada, penhorando o seu futuro. A desertificação e o despovoamento são cada vez mais preocupantes.

Após vários decénios de discussão e de diligências de apoio ao desenvolvimento, passados já quatro Quadros Comunitários de Apoio, investidos muitos milhões de Euros, a região Alentejo está cada vez mais longe do nível de vida das regiões mais desenvolvidas da União Europeia.

A ideia passa por criar uma proposta de desenvolvimento que não esgote os recursos naturais para o futuro. Armando Varela acredita que o desenvolvimento do Alentejo e sobretudo de Sousel passa por 2 áreas fundamentais baseadas principalmente no turismo, e na Industria agro – alimentar.

No enquadramento deste contexto foi definido o POTS – Plano Operacional do Turismo de Sousel, que procura transpor para o concelho um método que deu provas e resultados positivos na região; com o objetivo de dinamizar e promover o turismo do território bem como o seu desenvolvimento sustentado, trazendo benefícios para todos os agentes com interesses ou atividades, envolvidos no processo.

Em Sousel, o POTS definiu um negócio coletivo, profundamente identificado com a identidade, a comunidade e a base produtiva local, centrado no setor olivícola, sem esquecer as outras atividades tradicionais, como é o caso da fileira da transformação das carnes.

Este negócio coletivo é a base de uma parceria local que procura associar o setor do turismo às atividades tradicionais do concelho de base agrícola, debaixo de um conceito de “olivoturismo”. Ao negócio designou-se: “Vive o Olival… em Sousel”.

Por essa razão o POTS – Plano Operacional de Turismo de Sousel – tem como o objetivo afirmar o concelho como território de desenvolvimento turístico baseado na qualidade, orientado para a atração seletiva de nichos de mercado turístico e para a polarização de investimentos empresariais, através:

A) do aproveitamento das potencialidades dos recursos naturais, ambientais, patrimoniais, culturais, económicos e turísticos;

B) do reforço do aproveitamento dos recursos turísticos existentes no concelho e nas regiões limítrofes com potencial turístico;

C) da definição de estratégias de desenvolvimento do turismo, identificando projetos estruturantes e iniciativas e ações a realizar por entidades públicas e privadas de âmbito regional e local;

D) da atração de investimento – capitais e conhecimentos –, gerador de desenvolvimento económico e suscetível de ser completado pela qualificação do capital humano da Região.

Assim, pensar e planear o futuro do desenvolvimento turístico do concelho de Sousel significa privilegiar a sustentabilidade dos recursos, a identidade local, os sistemas de comunicação, a diversidade económica e os produtos culturais, tendo presente que o mundo atual se caracteriza pelo reforço e multiplicação das redes, o crescimento e desenvolvimento do trabalho baseado no conhecimento e a globalização da produção e do consumo, incluindo o do lazer e o do turismo. Afinal, o turismo é um dos sectores mais competitivos e sofisticados do mundo contemporâneo.

Outra das apostas de Turismo para Sousel é o de natureza. Este assume atualmente múltiplas formas e abrange produtos diferenciados, que vão do ecoturismo, à ornitologia, ao turismo de aventura, ao turismo radical, a algumas tipologias de turismo de saúde e bem-estar, ao pedestrianismo, entre muitas outras práticas

A multiplicidade de atividades e o cruzamento de nichos ao nível da natureza é imenso e Sousel tem o enquadramento paisagístico perfeito para desenvolver estas experiências, aliando-as sempre ao Olivoturismo.

Outras das Apostas de Turismo para Sousel são a Gastronomia e Vinhos. A gastronomia e os vinhos assumem-se cada vez mais como importantes fatores no contexto das motivações turísticas, de visitação e de lazer. Todos os estudos apontam a gastronomia como um fator importante na qualidade de um destino turístico, podendo assumir-se como motivação principal ao nível de segmentos e nichos de mercado.

A proliferação de feiras gastronómicas, semanas gastronómicas, provas de vinho, confrarias, e a crescente valorização social da “comida caseira”, do vinho, do azeite, do queijo, da dieta mediterrânea tradicional (pão, vinho e azeite), dos produtos de origem local, dos vinhos DOC e VQPRD, dos prémios gastronómicos e vitivinícolas, assim como o surgimento e consolidação de movimentos como o “Slow Food”, fazem deste nicho um dos com maior capacidade de crescimento e afirmação.

No conjunto, todos estes elementos são fatores de sucesso a que importa estar atento, e que envolvem tanto o sector público como o sector privado, em ações que vão desde promover Sousel não apenas como destino mas como experiência de descoberta e de vivências marcadas pelo contacto com as populações locais, pela sua hospitalidade, algo de particular e de diferente, mobilizando a sociedade local para o turismo.

Contribuindo também para reforçar a qualidade e para diferenciar a nossa oferta turística, que só pode ser sustentada através da dignificação e do respeito pelos nossos produtos tradicionais.

Para Armando Varela a realização desta Semana Gastronómica na Casa do Alentejo, é tudo o que foi referido… e mais…

É levar um pouco do Alentejo, de Sousel até lisboa… é mostrar o que o concelho tem de melhor, deixando um cartão-de-visita do território, para que se desperte o interesse daqueles que foram à Casa do Alentejo, aguçando o apetite dos que provam os sabores da gastronomia Souselense e deixando em aberto a curiosidade para que visitem Sousel.

 

Sobre Redacção Registo

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.