JORNADAS INTERNACIONAIS “ESCOLA DE MÚSICA SÉ DE ÉVORA”

Por em 2 de Outubro de 2014

Concertos por “Contrapunctus”, “Capella Vocale na St. Hyppolytus”, Coro Polifónico “Eborae Mvsica” e Coro dos Participantes.

A Associação Eborae Mvsica promove, entre 3 e 5 de Outubro, as XVII Jornadas Internacionais “Escola de Música da Sé de Évora”. Participam profissionais e amadores da polifonia para estudar e interpretar obras de Diogo Dias Melgaz, Manuel Cardoso e Francisco Martins.

Os ateliers são orientados por: Owen Rees, Paulo Lourenço, Armando Possante e Pedro Teixeira, com acompanhamento ao piano por Nicholas McNair. O programa integra uma Conferência por Paulo Estudante, e outra por Owen Rees, no Convento dos Remédios, no dia 3, e Concertos, na Sé de Évora, no dia 3 por “Capella Vocale na St. Hippolytus”, sob a direção de Michael Veltman às 19h00. No dia 4, às 19h00, tem lugar o Concerto por “Contrapunctus” direção de Owen Rees e no dia 5 às 17h00 o Concerto de Encerramento (Coro Polifónico Eborae Mvsica, direção de Eduardo Martins, e Coro dos Participantes, direção de Owen Rees, Paulo Lourenço, Armando Possante e Pedro Teixeira.

Programa do concerto de dia 3, na Sé de Évora: às 19h00, por “Capella Vocale na St. Hyppolitus”: Leonhard Lechner (1553-1606) -Das erst und ander Kapitel des Hohenliedes Salomonis; Duarte Lobo (ca. 1565 – 1646) – Missa Elisabeth Zachariae
Gloria; Claudio Monteverdi (1567-1643) – Lagrime d’ Amante al Sepolcro dell’ Amata (Sestina) ; Orlando di Lasso (1532-1594) – Lagrime di San Pietro

O Capella Vocale de St. Hypolitus é um coro de câmara que se dedica a grandes e ambiciosas peças de música coral com um reduzido número de intérpretes. Realizaram vários Concertos por exemplo por ocasião das jornadas “Robert Schumann” de Troisdorf, celebrados em 2010, para comemorar os 200 anos do nascimento do compositor; em março de 2011 o moteto de Bach para dois coros “Komm, Jesu, Komm” e estreou a peça do seu diretor, Michael Veltman, “Durch Die”; em março de 2014, o Capella Vocale interpretou, por duas vezes, a “Paixão de São João” de J. S. Bach, com uma orquestra barroca com instrumentos da época.

Michael Veltman nasceu em Bona, em 1960, e estudou música sacra na Escola Superior de Música de Colónia. Concluiu as suas pós graduações em órgão (interpretação) com Daniel Roth, em Paris e na Escola Superior de Música, em Sarrebruck; em composição com Friedrich Jaecker, na Escola Superior de Música de Colónia; em música de câmara com Vladimir Mendelssohn, na Folkwanghochschule, em Essen. Entre 1985 e 1991 Michael Veltman foi Chantre (mestre de Capela) na Schlosskirche da Universidade de Bona. A partir de 1991 M. Veltman foi chantre (mestre de capela) em St. Hippolytus, em Troisdorf, e realizou concertos como organista nos grandes órgãos de França para além de concertos na Holanda e em Israel.
Como compositor, foi convidado para vários festivais internacionais, p.ex. no México e em Kiev/Ucrânia. Em 2009, fundou o “Capella Vocale de St. Hypolitus” com o qual se dedica a obras particularmente exigentes de música coral.

Programa do Concerto de dia 4 às 19h00 por “Contrapunctus”: Sitivit anima mea -Manuel Cardoso (1566–1650); Missa Dilectus meus-Filipe de Magalhães (c. 1571–1652); Lamentations for Maundy Thursday, Lesson II -Manuel Cardoso; Lamentations – Manuel Leitão de Aviles (d. 1630); Lachrimans sitivit anima mea – Pedro de Cristo (c. 1550–1618); Lamentations for Holy Saturday – Fernando de Almeida (c. 1600–1660); Salve Regina -Diogo Dias Melgas (1638–1700);
“Contrapunctus” – Combinando interpretações notáveis com um academismo inovador, Contrapunctus apresenta-nos música dos mais famosos compositores bem como obras-primas que nos são menos familiares. Contrapunctus formou-se a partir do grupo vocal A Capella Portuguesa, como consequência do alargamento do seu reportório e da sua dedicação à música de compositores de vários países, entre os quais incluímos a Inglaterra, os Países Baixos, Espanha, Portugal e a Alemanha, particularmente durante os séculos dezasseis e dezassete. Desde a sua fundação, em 2010, o grupo participou no Festival AMUZ de Antuérpia, no Festival de Vlaanderen, em Melchen, no Early Music Festival, em Utecht, nas Jornadas Internacionais de Música da Sé de Évora e no Festival de Setúbal. Participou na série de concertos no De Bijloke, em Ghent e no Festival Martin Randall de Música Espanhola (Catedral de Sevilha). Colaborou, ainda, com a orquestra The Age of Enlightenment. Contrapunctus é um grupo vocal residente na Universidade de Oxford.
O disco de estreia do grupo “Libera nos: The Cry of the Opressed” , da Signum Classics, foi selecionado para o Prémio Gramofone de Música Antiga, de 2014.
Owen Rees é não só um executante mas também um académico cuja mestria dá, constantemente, corpo às suas execuções. Ao longo de todo o seu trabalho como diretor coral, Owen Rees trouxe para as salas de concerto e para os estúdios de gravação vastos repertórios de magnífica música do Barroco e da Renascença, incluindo obras anteriormente desconhecidas, ou pouco conhecidas, de Espanha e de Portugal.
As suas interpretações destes repertórios foram aclamadas como “exemplos raros de academismo e arte musical que se combinam e resultam em execuções que impressionam e cativam, imediatamente, o ouvinte”. Owen Rees foi descrito como “uma das vozes mais enérgicas e persuasivas” nesta área.
Foi director em festivais por todo o mundo. Owen Rees gravou CDs para as etiquetas Hyperion, Signum e Avie, que foram consistentemente aclamados pela crítica. Os seus trabalhos foram, por duas vezes, seleccionados para o Gramophone Early Music Award.
Owen Rees é Professor de Música na Universidade de Oxford. Como Membro Sénior e Diretor de Música no Queen’s College, de Oxford, dirige o afamado Coro de Capela. Os seus numerosos estudos, publicados, incluem trabalhos sobre música portuguesa, sobre os compositores espanhóis Victoria, Morales e Guerrero bem como sobre o compositor inglês William Byrd.
Programa do Concerto de dia 5, na Sé de Évora, às 17h00: Coro Polifónico Eborae Mvsica, Direção de Eduardo Martins – Kyrie (Missa Dom.Adventus et Quadragesimae IV voc.) Manuel Cardoso (1566-1650) ;Versa est in luctum Estevão Lopes-Morago (c.1570-1641) ; de Diogo Dias Melgaz (1638-1700) –Adjuva nos ; In Monte Oliveti ;Ecce ascendimus (feria quarta post dominicam secund.) ;Salve Regina
Coro dos Participantes – Apresentará as peças trabalhadas ao longo dos três dias das Jornadas.

Estas atividades são co-financiadas pelo INALENTEJO/QREN/Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e têm o apoio financeiro e ou logístico do Cabido da Sé, Câmara Municipal de Évora, Direção Regional da Cultura do Alentejo, Fundação Eugénio de Almeida, Fundação Casa de Bragança, Universidade de Évora, Caixa Geral de Depósitos, Cafés Delta, Antena 2, Diário do Sul, Jornal Registo, A Defesa e Rádio Diana.
.

Sobre Redacção Registo

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.