Preço do azeite e seca

Por em 5 de Setembro de 2023
DR

O preço do azeite atingiu os 8,25 euros por quilo, junto do produtor, o que compara com 3,87 euros há exatamente um ano, segundo a plataforma Poolred, da Olimerca, entidade que monitoriza a cotação desta matéria-prima em Espanha, que é o maior mercado mundial do azeite, e que serve de referência também para Portugal.

De acordo com fontes do sector, a tendência vai continuar a ser de subida dos preços e, na base desta espiral especulativa, que já dura há cerca de um ano, está acima de tudo uma única condicionante: as alterações climáticas.

No caso de Espanha, que é responsável por cerca de metade da produção mundial de azeite, o caso é particularmente grave, segundo os especialistas citados na imprensa especializada, pois muito do olival concentra-se na Andaluzia, fortemente castigada pelas sucessivas vagas de calor que se têm vindo a registar.

Por outro lado ainda, a maioria daquele olival espanhol é de sequeiro, pelo que sofre ainda mais com as alterações climáticas em curso no sul da Península Ibérica. Já no caso do Alentejo, onde se produz cerca de 85% do azeite nacional, o problema está mais mitigado pois a maioria esmagadora do olival é regado pela água da barragem de Alqueva.

De acordo com Mariana Matos, secretária-geral da Casa do Azeite – organização que congrega praticamente toda a fileira em Portugal -, a tendência dos preços do azeite é de alta, “até onde, ninguém sabe muito bem”.

Mariana Matos nota, porém, que pode haver ligeiras correções: “se chover em breve, por exemplo, poderá dar-se um ajustamento no preço, mas nada de muito significativo, pois o impacto da chuva na produção, se bem que sempre positivo, já não poderá anular os estragos feitos pelo acumular de várias campanhas de seca severa”.

Fonte: Expresso

Sobre Redacção Registo

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.