Columbofilia

Por em 24 de Novembro de 2023
DR

Movimento associativo – Columbofilia mais do que criar pombos-correios


No cinema, na guerra ou na vida real os pombos-correio têm o seu lugar na história antiga e
contemporânea.
Aos voadores ou reprodutores dão os columbófilos cuidados mil na alimentação e treino, no
cruzamento de campeões e apuramento na linguagem columbófila, a mais a adrenalina das
partidas e das chegadas, que fazem da columbófila um mundo que apetece entender.
As associações columbófilas estão presentes em todo o país, dando a este desporto uma
dimensão nacional de elevado prestígio na columbofilia internacional.
Enraizada na sociedade portuguesa, estima-se que existam cerca de dez mil columbófilos em
Portugal.
Esta atividade mostra essa característica dos pombos-correio de voltar ao local de origem,
percorrendo longas distâncias, podendo atingir velocidades entre os 80 e 100 kms/h.
Os columbófilos procuram apurar a capacidade física e de orientação para a participação na
competição.
O uso de pombo-correio é muito antigo, graças à sua capacidade de orientação quer pelo uso
da visão, localizando pontos de referência, bem como reconhecendo a posição do sol ou, à
noite a posição da lua.
Acresce que têm ainda possibilidade de se orientarem pelo eixo magnético da Terra.
Durante as duas grandes guerras mundiais, foram usados pombos-correio para transmitir
informações através de mensagens levadas para os soldados na frente de batalha.
Enquanto desporto terá nascido na Bélgica.
Uma atividade associativa exigente no tratamento dos “atletas”, com custos elevados para
poder competir nas diversas provas – velocidade – meio- fundo e fundo.
Para ser columbófilo pode dirigir-se a uma associação, clube ou sociedade e informar-se sobre
a modalidade.
No concelho de Arraiolos a Sociedade Columbófila Arraiolense e a Sociedade Columbófila Flor
do Alentejo (Vimieiro), ambas integradas nas estruturas organizativas da Federação e nas
Associações Columbófilas Distritais e Regionais mantém uma atividade regular e meritória, que
todos podem conhecer.

José Manuel Pinto
(Dirigente Associativo)

Sobre José Pinto

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.